Negociação de Porta

Equipe Monitoramento -

Procedimentos de Diagnóstico, reparo e correção de falha.

– Verifique se os cabos e conectores são cabos de uso externo (FTP ou STP)

com malha de aterramento.

caborede

rj45

– Verifique qual é a marca e modelo do cabo, caso possível.

– Verifique se os conectores RJ45 estão em bom estado de conservação

4° – Verifique se houve infiltração de líquidos dentro do cabo e nos conectores.

5° – Verifique se o conector metálico está ligado a um Terra Comum entre todo o circuito ou seja, (Rack, roteadores, switches e antenas). Clique aqui para entender melhor sobre este assunto.

Aviso: A desabilitação da negociação automática oculta as quedas de link ou os problemas na camada física! Deixe sempre a opção AUTO NEGOCIATION marcada.

 

Teoria Associada ao Assunto:

Cabos Ethernet de Cobre para portas de 10 a 100 Mbps

Verifique se você possui o cabo correto para o tipo de conexão que está fazendo. O cabo de cobre da Categoria 3 pode ser usado para conexões UTP (unshielded twisted pair) de 10 Mbps, mas nunca deve ser usado para conexões UTP de 10/100 ou 10/100/1000 Mbps. Use sempre UTP de Categoria 5, 5e ou 6 para conexões de 10/100 ou 10/100/1000Mbps.

Aviso: Os cabos das Categorias 5e e 6 podem armazenar altos níveis de eletricidade estática devido às propriedades dielétricas dos materiais usados em sua fabricação. Aterre sempre os cabos (especialmente em novos cabeamentos) de forma segura e adequada antes de conectá-los ao módulo.

No caso de fibras, verifique se você possui o cabo correto para as distâncias envolvidas e o tipo de portas de fibra usado. As duas opções são fibras de single mode (SMF) ou fibra de multimode (MMF). Certifique-se de que as portas nos dispositivos conectados sejam ambas SMF ou MMF.

Nota: Para conexões de fibra, verifique se o cabo de transmissão de uma porta está conectado ao cabo de recepção da outra. As conexões transmissão-a-transmissão e recepção-a-recepção não funcionarão.

Distâncias Máximas de Transmissão para Ethernet e Fast Ethernet

Velocidade do transceptorTipo de caboModo DuplexDistância máxima entre estações
10 Mbps UTP Categoria 3 Full e half 328 ft (100 m)
10 Mbps MMF Full e half 1,2 milhas (2 km)
100 Mbps UTP da Categoria 5 / UTP da Categoria 5e Full e half 328 ft (100 m)
100 Mbps UTP Categoria 6 Full e half 328 ft (100 m)
100 Mbps MMF Half 1312 ft (400 m)
    Full 1,2 milhas (2 km)
100 Mbps SMF Half 1312 ft (400 m)
    Full 6,2 milhas (10 km)

 

Analise de falhas em portas Gigabit.

Se o dispositivo A estiver conectado ao dispositivo B por meio de um link Gigabit e o link não for ativado, execute o procedimento a seguir.

Procedimento Passo a Passo

  1. Verifique se os dispositivos A e B utilizam o mesmo GBIC, comprimento de ondas curtas (SX), comprimento de ondas longas (LX), longa distância (LH), comprimento de ondas estendidas (ZX) ou UTP de cobre (TX). Ambos os dispositivos devem usar o mesmo tipo de GBIC para estabelecer o link. Um SX GBIC precisa se conectar a um SX GBIC. Um GBIC SX não será conectado a um GBIC LX. Verifique a distância e o cabo usados para cada GBIC, conforme definido nesta tabela.
    1. Especificações de Cabeamento das Portas 1000 BASE-T e 1000 BASE-X
      GBICComprimento de onda (nm)Tipo de cobre/fibraTamanho do núcleo1(Mícrons)Largura de Banda Modal (MHz/km)Distância do cabo2
      WS-G5483 1000 Base – T (cobre)   UTP da Categoria 5UTP da Categoria 5eUTP da Categoria 6     328 ft (100 m)
      WS-G54841000 BASE-SX3 850 MMF 62,562,550,050,0 160200400500 722 ft (22.006,56 cm)902 ft (275 m)1640 ft (500 m)1804 ft (550 m)
      WS-G5486 1000 BASE-LX/LH 1310 MMF4SMF 62,550,050,08,3/9/10 500400500- 1804 ft (550 m)1804 ft (550 m)1804 ft (550 m)6,2 milhas (10 km)
      WS-G54871000 BASE-ZX5 1550 MMFSMF6 8,3/9/108,3/9/10   43,5 milhas (70 km)762,1 milhas (100 km)

       

      Se o dispositivo tiver várias portas Gigabit, conecte-as entre si. Isso testará cada dispositivo e verificará se a interface Gigabit funciona corretamente. Por exemplo, você possui um switch que possui duas portas de Gigabit. Conecte a porta Gigabit um à porta Gigabit dois. O link se torna ativo? Em caso afirmativo, a porta está boa. O STP bloqueia a porta e impedirá quaisquer loops (a recepção (RX) da porta um vai para a transmissão (TX) da porta dois e o TX da porta um para o RX da porta dois).

      1. Os números fornecidos para o cabo de fibra ótica multimodo referem-se ao diâmetro central. Para o cabo de fibra ótica de modo simples, 8,3 mícrons referem-se ao diâmetro central. Os valores de 9 mícrons e 10 mícrons referem-se ao diâmetro do campo de modo (MFD), que é o diâmetro da parte que conduz luz da fibra. Esta área consiste no núcleo da fibra mais uma parte pequena do revestimento ao redor. O MFD é uma função do diâmetro central, do comprimento de onda do laser e da diferença do índice de refração entre o núcleo e o revestimento.
      2. As distâncias baseiam-se na perda da fibra. Cabos de fibra ótica subpadrão e com várias emendas reduzirão as distâncias de cabeamento.
      3. Use somente com MMF.
      4. Ao usar um GBIC LX/LH com MMF de 62,5 mícrons de diâmetro, você deve instalar um patch cord de condicionamento de modo (CAB-GELX-625 ou equivalente) entre o GBIC e o cabo MMF nas extremidades de transmissão e recepção do link. O patch cable de condicionamento de modo é necessário para as distâncias de links inferiores a 328 ft (100 m) ou superiores a 984 ft (300 m). O patch cable de condicionamento de modo impede a sobrecarga do receptor para comprimentos curtos do MMF e reduz o atraso no modo diferencial para comprimentos longos do MMF. Consulte Nota de Instalação do Patch Cord de Condicionamento de Modo para obter mais informações.
      5. Use somente com SMF.
      6. Cabo de fibra ótica de modo único e dispersão deslocada.
      7. A distância mínima do link para GBICs ZX é de 6,2 milhas (10 km) com um atenuador de 8 dB instalado em cada extremidade do link. Sem os atenuadores, a distância mínima de link é 24,9 milhas (40 km).
    2. Se a conexão única ou a Etapa 3 falhar com conectores SC, crie um loopback da porta (RX da porta um vai para o TX da porta um). A porta se torna ativa? Se ela não for ativada, entre em contato com o TAC, pois ela poderá estar com defeito.
    3. Se as etapas 3 e 4 forem bem-sucedidas, mas não for possível estabelecer uma conexão entre os dispositivos A e B, faça um loop nas portas com o cabo que conecta os dois dispositivos. Verifique se não existe um cabo defeituoso.
    4. Verifique se cada dispositivo oferece suporte à especificação 802.3z para a negociação automática de Gigabit. A Gigabit Ethernet possui um procedimento de negociação automática que é mais amplo do que o usado para 10/100 Ethernet (Especificação de negociação automática de Gigabit: IEEE Padrão 802.3z-1998). Ao habilitar a negociação de link, o sistema negocia automaticamente o controle do fluxo, o modo duplex e as informações de falha remota. Você deve habilitar ou desabilitar a negociação de link nas duas extremidades do link. Ambas as extremidades do link devem ser definidas com o mesmo valor ou o link não conseguirá ser conectado. Foram observados problemas durante a conexão com dispositivos fabricados antes que o padrão IEEE 802.3z fosse ratificado. Se o dispositivo não oferecer suporte à negociação automática de Gigabit, desabilite esse tipo de negociação para forçar a ativação do link.Aviso: A desabilitação da negociação automática oculta as quedas de link ou os problemas na camada física. Esse procedimento só será necessário se forem usados dispositivos finais, como NICs Gigabit mais antigas, que não oferecem suporte ao IEEE 802.3z. Não desabilite a negociação automática entre os switches a menos que seja absolutamente necessário, uma vez que os problemas na camada física podem não ser detectados, resultando em loops de STP. A alternativa é entrar em contato com o fornecedor para obter uma atualização do software/hardware, tendo em vista o suporte à negociação automática de Gigabit EEE 802.3z.
Tem mais dúvidas? Envie uma solicitação

0 Comentários

Artigo fechado para comentários.
Desenvolvido por Zendesk